Logo Sociedade Ponto Verde

UMA CHEF CONTRA O DESPERDÍCIO ALIMENTAR
Uma Chef contra o desperdício alimentar
2016-07-29
Uma Chef contra o desperdício alimentar

 


"Não se pode querer comer um tomate verdadeiramente saboroso, daqueles que cheiram a verão, em janeiro. É impossível." Filipa Gomes, vencedora do casting lançado pelo canal 24Kitchen que lhe entregou o comando do programa Prato do Dia, assume a preferência por produtos orgânicos e sazonais, a que chama “ingredientes de verdade”, e defende o regresso à simplicidade e às origens da dieta mediterrânica.

Até então nunca se tinha imaginado a fazer carreira na televisão, e muito menos na culinária. Agora, com algum distanciamento da rotina de outros tempos, só lamenta não ter arriscado há mais tempo. Entretanto, já viajou pelo mundo à procura de novos saberes para acrescentar àquilo que melhor a caracteriza: o tempero honesto, genuíno e sem cerimónias.

 

Cresceu numa família de agricultores e um dos sabores de infância que guarda com mais carinho é dos peixinhos da horta feitos pela avó, com o feijão-verde trazido diretamente da terra. Recorda-se de apanhar batatas, de participar da ordenha das vacas e de ver nascer os animais da quinta. “São memórias muito fortes e que têm muita influência na forma como se come em minha casa e com o tipo de comida que apresento na minha cozinha”, explica. Não se trata de embarcar na moda da comida saudável e biológica, mas admite que desde que foi mãe, há oito meses, ganhou uma consciência ainda maior dos alimentos que consome e é por isso mesmo que se compromete a respeitar a sazonalidade dos ingredientes que lhe servem de matéria-prima.

 

A horta dos avós já não existe, mas agora é com a mãe que se abastece de vegetais e ervas aromáticas, plantados em vasos no terraço de casa. “O bichinho da agricultura ficou sempre na família, e a verdade é que a horta improvisada tem sido um sucesso.”

Em breve surgirá um abacateiro, cujos frutos já estão destinados para uma série de receitas saborosas e perfeitas para o verão. Como não abdica de ter a despensa de casa recheada de fruta e legumes da época, a gestão doméstica obriga a uma logística mais complexa, com idas semanais ao mercado, “de outra forma não seria possível consumir produtos verdadeiramente frescos”.

 

Enérgica e determinada como é, diz que este é um esforço que vale a pena, mas ainda assim lamenta o uso da palavra “esforço”, por reconhecer que o acesso aos produtos biológicos ainda é um luxo para a maior parte das pessoas, não só pelo preço mais elevado mas também pela escassez e falta de variedade na oferta. Idealista, diz que, se pudesse escolher, na sua cozinha de profissão usaria apenas ingredientes de produtores locais, mas, “por uma questão de economia de escala, é preciso andar à frente das estações e testar receitas cujos ingredientes nem sempre respeitam a ordem natural das coisas”. Acredita que as mentalidades estão a mudar, no sentido de um maior respeito pela origem dos alimentos, e defende que a televisão é uma plataforma educacional essencial e compromete-se a guiar os telespectadores no caminho da sustentabilidade alimentar.

 


RECEITAS ANTIRRESTOS

Ideias rápidas para transformar “restos” em iguarias
• Corte os legumes esquecidos na gaveta do frigorífico em pedaços e deixe saltear na frigideira com sal, pimenta e tomilho. Acrescente umas colheres de molho de tomate. É o acompanhamento perfeito para um prato de carne ou peixe.
• As frittatas são uma base perfeita para despachar ingredientes que sobram. Salteie os vegetais em conjunto e adicione quatro ovos batidos. Unte uma forma com manteiga e verta a mistura diretamente nela. Leve ao forno até estar dourada e acompanhe com uma salada verde simples.
 


ZERO DESPERDÍCIO

Preocupa-se com a quantidade de comida que todos os dias é deitada para o lixo, não só em casa como nos supermercados. Se pudesse criava um sistema especial para acabar com os excedentes de produção. “Os produtores só produziriam aquilo que os consumidores realmente precisassem, através de um esquema de encomendas mais racional, que garantisse a sustentabilidade dos solos e evitasse a lógica de comércio agressivo.”


PLANEAR É OBRIGATÓRIO!

Em casa, nada fica esquecido no fundo do frigorífico. Todos os dias é feita uma triagem dos ingredientes mais “antigos” e são esses que têm prioridade na hora de cozinhar. O ideal “é fazer um planeamento semanal de refeições e ir às compras com uma lista organizada, onde cada produto já tem um destino certo”.
 


PEDIR AJUDA NO MERCADO

Ir a um mercado pode ser complicado. “Não se pode esperar encontrar frutas e legumes tão bonitos e brilhantes, mas são duplamente saborosos e nutritivos.” O ideal é aconselhar-se diretamente com os produtores. Desta troca de ideias surgem ótimas sugestões de receitas para experimentar em casa.
 

DESCUBRA AINDA



UK